Rua: Domingos Ricardo de Lima, 174 - Centro
(44) 3258-1122 / 9 99260030
Libras
Acessibilidade

Estupro de vulnerável é o crime sexual mais cometido contra crianças e adolescentes, de acordo com dados do Comitê Protetivo do TJPR

Terça-feira, 18 de maio de 2021

Última Modificação: 03/09/2021 14:19:59 | Visualizada 546 vezes

Maio Laranja é o mês de conscientização e combate ao abuso e à exploração sexual infantil


Ouvir matéria

No mês de maio é dado mais visibilidade a um assunto que deve ser discutido o ano inteiro: o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

A violência sexual é uma violação dos direitos sexuais, porque abusa e explora do corpo e da sexualidade, seja de maneira forçada ou através da manipulação, de crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias à sua idade ou ao desenvolvimento físico, psicológico e social.

Essa violência pode acontecer de duas formas: o abuso sexual e a exploração sexual. O abuso é a utilização do corpo de uma criança ou adolescente por um adulto ou outro adolescente a fim de praticar qualquer ato de natureza sexual.

Já a exploração se caracteriza pela utilização sexual de crianças e adolescentes com a intenção de obter lucro, podendo este ser financeiro ou de outra espécie. Exemplos dessa forma de violência são redes de prostituição, pornografia, redes de tráfico e turismo sexual. 

Ambas as violações podem acontecer em ambientes intrafamiliares, ou seja, pessoas que dividem a mesma casa ou possuem alguma relação de parentesco, e também em ambientes extrafamiliares, quando não há nenhuma relação de convivência familiar entre o agressor e a vítima.

Segundo dados divulgados pelo Comitê Protetivo do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), de 1º de janeiro a 23 de março deste ano, foram registradas 2.773 ocorrências de violência contra crianças e adolescentes. Destes, 7,3% são bebês menores de até um ano de idade.

Os dados levantados vão além. Se pegarmos o período de 1º de janeiro de 2020 a 31 de janeiro de 2021, a lesão corporal foi o crime mais registrado, seguido de ameaça e estupro de vulnerável. Em 99% dos casos, os crimes ocorreram dentro de casa, praticados por pessoas próximas às vítimas.

Dos delitos sexuais, estupro de vulnerável aparece em primeiro lugar no ranking. Em seguida vem importunação sexual, estupro ou atentado violento ao pudor e assédio sexual.

No estado, Curitiba lidera o número de registros de crimes cometidos contra crianças e adolescentes. Londrina, Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu e Maringá estão logo atrás, nessa ordem respectivamente.

É importante lembrar que a violência sexual deixa uma marca irreparável na vida da vítima. Portanto, se você tem qualquer suspeita, denuncie. Você pode denunciar pelo telefone, através do dique 100, ou no site ouvidoria.mdh.gov.br/, pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil, ou nos conselho tutelar da sua cidade.

No se cale. Sob qualquer suspeita, denuncie. Disque 100. Crédito: Reprodu??o / iStock
Legenda: N?o se cale. Sob qualquer suspeita, denuncie. Disque 100.

 Galeria de Fotos

 Veja Também